Ocupar Curitiba para impedir a prisão de Lula

Está marcado pela operação golpista da Lava Jato o depoimento do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, para o dia 03 de maio, na cidade de Curitiba.

O depoimento do ex-presidente está marcado por uma caçada implacável, da direita nacional, ao maior líder popular do Brasil.

Depois de frustradas tentativas de colocar Lula na cadeia, inclusive com o sequestro do ex-presidente, tirando-o de sua casa à força e tentando levá-lo para Curitiba em vôo que sairia de Congonhas, o Juiz golpista Sérgio Moro intimou Lula a ir para Curitiba prestar depoimentos.

Diante do cenário de barbárie que o regime político brasileiro se transformou, após o golpe de Estado, expresso na arbitrariedade dos juízes e do judiciário brasileiro de conjunto, a probabilidade de que Lula esteja sendo atraído para seu encarceramento é muito grande.

Se Lula, que foi presidente do País por duas vezes, elegendo sua sucessora pelos mesmos dois mandatos, uma personalidade conhecida no mundo inteiro, for preso, de forma arbitrária, inclusive sem ter nenhuma prova contra sua pessoa, nenhum indivíduo no Brasil estará livre das arbitrariedades dos golpistas que se apoderaram do poder no País.

Está na hora da esquerda nacional, o movimento operário, estudantil, popular entender que a prisão de Lula pela direita nacional é um ataque ao conjunto dos movimentos sociais do Brasil.

Não podemos permitir de forma alguma que Lula seja preso. É necessário organizar uma manifestação gigantesca em Curitiba, contra os golpistas e a tentativa de prisão de Lula.

Essa manifestação deve ser precedida de uma ampla campanha de propaganda junto à população dessa cidade com colagem de cartazes e panfletagem junto à população curitibana, nos locais de grande aglomeração de pessoas, nas fábricas e bairros operários.

É necessário que os movimentos sociais do Brasil inteiro, principalmente da região Sul e Sudeste do país e desloquem para Curitiba, um dia antes e aguarde Lula no aeroporto, para já dar o recado para o golpista Sérgio Moro de que não vamos deixar a Polícia Federal prender Lula. Nesse sentido, a mobilização deve estar imbuída de inclusive soltar Lula na marra caso o juizeco decida prendê-lo.

Uma manifestação de peso contra o mecanismo facistóide que existe na República do Paraná.

Anúncios