Acompanhe a cobertura deste dia de paralisações nacional

Hoje, uma onda de mobilizações contra as medidas do governo golpista tomará o Brasil. Atos, paralisações de categorias e assembleias, como a dos professores de todos os estados, tomam a frente da luta neste dia.

O Diário Causa Operária Online fará um acompanhamento da mobilização de hoje com notícias exclusivas. Acompanhe pelo diário operário e socialista os atos deste 15 de março:

19h49: O ato na avenida Paulista começa a se dispersar. Acampanhe o balanço completo das manifestações nas próximas edições do DCO e na Análise Política da Semana, com o companheiro Rui Costa Pimenta, sábado, a partir das 11h30.

19h20: Nesse momento, o ex-presidente Lula discursa no carro de som no ato da Paulista. Assista ao vivo no link abaixo:

https://www.facebook.com/redetvt/?hc_ref=PAGES_TIMELINE

 

18h43: Paulista lotada, dezenas de milhares contra o golpe e a reforma da Previdência.

18h35: Rio de Janeiro: Polícia Militar usa balas de borracha e bombas de gás contra alguns manifestantes. A manifestação é enorme e ocupa três quateirões da avenida Presidente Vargas.

18h11: Veja mais imagens do ato da avenida Paulista desse enorme dia nacional de mobilização. Abaixo o golpe! Anulação do impeachment! Não à Reforma da Previdência! Não à destruição da CLT!

18h00: Ato desse dia 15 já deve ser o maior desde os grandes atos contra o impeachment de Dilma Rousseff no ano passado. A própria imprensa golpista informa que pelo menos seis quarteirões da avenida Paulista estão cupados pelos manifestantes.

17h40: Repressão em Santos. Polícia Militar reprime violentamente com balas de borracha e bombas de gás estivadores que realizam paralisação e protesto contra o golpe e a reforma da Previdência. Pelo menos três trabalhadores foram detidos.

17h09: Manifestações aconteceram em pelo menos 24 estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás, Porto Alegre, Acre, Alagoas, Amapá, Bahia, Amazonas, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Pará, Paraíba, Paraná, Piauí, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Roraima, Rondônia, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins! Abaixo o golpe! Não à Reforma da Previdência!

16h58: Dezenas de milhares de pessoas já fecham as duas vias da Avenida Paulista. O Ato já é gigantesco e daqui a pouco milhares de professores se juntam à manifestação. Abaixo o golpe, anulação do impeachment já, não à reforma da Previdência

16h30: Na praça da República, assembleia dos professores estaduais também aprova greve a partir do dia 28. Os professores vão para a avenida Paulista se juntar com milhares de pessoas que já fecham as duas pistas da avenida em frente ao MASP

16h: Assembleia dos professores municipais de São Paulo decidiu: greve pelo menos até a próxima terça-feira, buscar unidade com outros sindicatos e participação do ato em Brasília dia 28. Agora vão se juntar aos professores estaduais pra subir para a avenida Paulista.

13h: Veja imagens do ato em Goiânia, que aconteceu de manhã:

 

12h: Veja algumas fotos da ocupação doMinistério da Fazenda, em Brasília

 

11h: Professores de Bauru e Campo Grande aderem à mobilização. Em todos os 26 estados, os professores marcaram assembleias para decidir por greves contra as reformas golpistas e os governos estaduais de direita.

11h: Motoristas de ônibus de Sorocaba também paralisam contra a Reforma da Previdência

10h: Estudantes da USP e outras universidades, como a Federal de Sergipe, aderiram também às paralisações e fazem atos nas faculdades. Os professores da Universidade de São Paulo também lançaram, segundo informações da Rede Brasil Atual, uma campanha contra o reitor tucano Marco Zago.

9h: Bancários de São Paulo também aderem à Mobilização Nacional e param agências

 

 

 

 

 

 

 

 

 

7h: Em Porto Alegre, vias são bloqueadas e escolas paralisadas.

4h: Ministério da Fazenda, em Brasília, é ocupado pelo MST contra o programa golpista.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

4h: Motoristas de ônibus e metroviários paulistanos realizam paralisação contra a Reforma da Previdência do governo golpista e os ataques dos governos tucanos de Geraldo Alckmin e João Dória. O metrô segue paralisado em sua maioria e os ônibus voltaram parcialmente a funcionar.

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios