Ato contra a Reforma da Previdência em Goiânia

Na manhã dessa quarta-feira (15), aproximadamente 12,5 mil pessoas lotaram as ruas de Goiânia contra o golpe e o ataque à Previdência pelo governo golpista. A manifestação se concentrou na Praça Cívica, de onde se deslocou para a Praça do Bandeirante, por volta das 11 horas. Bancários, professores, trabalhadores dos Correios, trabalhadores da área da saúde, trabalhadores da Celg e da Saneago, centrais sindicais, milhares de estudantes e diversas categorias partidárias somaram-se no ato contra a medida golpista, cuja votação está prevista para os meses de abril e julho.

O ato evidenciou a rejeição da população (principalmente da classe trabalhadora) de todo o país à Reforma da Previdência, que destruirá a aposentadoria pública em benefício da previdência privada. Apesar de expressar o repúdio geral da população contra o Golpe de Estado, a manifestação do dia 15 canalizou a indignação contra o golpe para o presidente golpista e para a reforma em questão. É preciso, entretanto, lutar contra o golpe de conjunto e não contra cada medida.

O PCO tem feito uma assídua campanha para esclarecer que gritar “Fora, Temer!” já está sendo feito pelo PSDB, que almeja colocar por eleições indiretas um candidato seu, e pela direita que quer a derrubada de Temer por meio das forças militares. A esquerda, nesse sentido, reforça uma política direitista ao gritar tão somente contra o Golpista, fazendo coro pelo recrudescimento do Golpe de Estado. É preciso lutar contra todos os golpistas, lutar contra a ditadura do judiciário, lutar contra a Lava Jato, lutar pela anulação do golpe contra a Dilma e contra a prisão do ex-presidente Lula.

Anúncios