Lista de Janot: mais um espetáculo golpista

Divulgada nessa quarta-feira (15), a lista parcial do procurador-geral da República, o golpista Rodrigo Janot, que pede a abertura de 83 inquéritos contra políticos que tiveram os seus nomes citados por funcionários da empresa Odebrecht na Operação Lava Jato.

Pelo menos cinco ministros do governo golpista de Michel Temer estão relacionados nesta lista, Eliseu Padilha (PMDB), Moreira Franco(PMDB), Bruno Araújo (PSDB), Gilberto Kassab (PSD) e Aloysio Nunes(PSDB), além destes constam também o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB), Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados (DEM), Renan Calheiros (PMDB), Romero Jucá (PMDB), Edison Lobão (PMDB), José Serra (PSDB), Aécio Neves (PSDB); claro que não poderia deixar de faltar os nomes do ex-presidente da República, Luis Inácio Lula da Silva e da presidenta deposta por um golpe de Estado, Dilma Rousseff e os seus ex-ministro, Guido Mantega e Antônio Palocci, ambos do PT.

A crise do governo golpista de Michel Temer a cada dia vem se aprofundando. A lista que Janot montou com a delação da Odebrecht é mais um componente do aprofundamento do golpe da direita ligada diretamente com o imperialismo como parte da preparação da ofensiva contra os trabalhadores e da população em geral. A lista faz parte da pressão para levar o governo golpistas mais ainda para a direita e acelerar o andamento dos planos de austeridade, tais como a reforma da Previdência e trabalhistas, fim da CLT, privatizações, terceirização etc.

A imprensa capitalista vem dando um grande destaque para a lista de Janot num claro sinal que estão fazendo campanha direta pela derrubada do golpista Temer. A delação dos diretores da Odebrecht e a lista de Janot revela as contradições entre os interesses dos países imperialistas com a burguesia nacional, a idéia é por fim o governo do PMDB para substituir por um setor mais alinhado com os imperialistas como os partidos do PSDB e DEM.

Anúncios