Na luta contra a Reforma da Previdência, movimentos ocuparam Ministério da Fazenda em Brasília

Às 4h da manhã do dia 15, mais de 1.500 pessoas ocuparam a sede do Ministério da Fazenda, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. A ação faz parte do Dia Nacional de Mobilização e Paralisação Contra a Reforma da Previdência, organizada por movimentos sociais do campo e da cidade que integram as frentes Brasil Popular, CUT e seus sindicatos filiados.

As Reformas promovidas pelo Golpe de Estado, como a Reforma da Previdência, são os principais motivos dos Atos que ocorreram no dia de luta em todo o País.

Os golpistas alegam que existe um rombo na previdência fiscal, o que já foi desmentido pelo DIEESE e também por especialistas em auditoria, como a Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil. Enquanto justifica a reforma com o déficit, os golpistas aplicam desonerações fiscais às empresas e perdoa a dívida de centenas de empresas que devem três vezes o valor do déficit ao INSS.

A ocupação foi realizada por movimentos da Via Campesina Brasil, MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), Povo sem Medo, MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens), MMC (Movimento das Mulheres Camponesas), CONAQ (Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Quilombolas), MTD (Movimento dos Trabalhadores por Direitos), MLT (Movimento de Luta pela Terra), MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) e contou com o apoio de professores da base do Sinpro/DF e de trabalhadores de diversas categorias da base de sindicatos da CUT.

Essa ocupação é um exemplo de luta dos trabalhadores e deve se refletir daqui para frente em uma política de enfrentamento com o Golpe e suas medidas.

Anúncios