Réu por chamar golpista de golpista, a censura avança

Sistematicamente o Diário Causa Operária (DCO) tem denunciado que com o golpe de Estado o cerceamento à liberdade de expressão será ainda mais intenso, levando o país a uma ditadura aberta contra a população, seja por se manifestar, realizar greves, ou simplesmente falar o que se pensa. É a ditadura do Estado e suas instituições (regime golpista) contra os trabalhadores e todos aqueles que não compactuam com a direita.

Um exemplo desse fato é que em agosto de 2016, um servidor público federal encontrou o ex-ministro golpista Geddel Vieira Lima (PMDB) em um voo e falou umas boas, chamando-o de “Golpista! Golpista!”.  Depois do ocorrido, o ex-ministro do governo de golpistas entrou com processo na justiça contra o servidor, alegando ter “sofrido” calúnia e difamação, além de exigir mais 50 mil reais.

Como os juízes são em sua maioria reacionários, direitistas e não eleitos, uma juíza aceitou o pedido do ex-ministro, demonstrando total aberração do Poder Judiciário no Brasil. A juíza aceitou o processo, pois, segundo ela, o o que o rapaz foi uma injúria, porque os termos “golpe” e “golpistas” são muito usados devido ao descontentamento com o golpe.

O que ocorre nesse caso se trata de uma perseguição política que evidencia uma ditadura, em que uma pessoa não pode falar o que pensa e, se o descontentamento com o governo golpista for demonstrado, ela será impedida de se manifestar.  Indo até para a cadeia.

Como já foi denunciado desde o começo do golpe, as liberdades da população estão sendo retiradas de cena, uma a uma. Se não houver uma luta consequente contra o golpe, que coloque a direita para fora do governo e restitua a normalidade democrática, todos os direitos serão exterminados. Assim como na Alemanha nazista.

Anúncios