Trump e o velho golpe da corrupção

Na noite desta terça-feira (14), a Casa Branca divulgou dados relativos aos impostos pagos pelo presidente Donald Trump em 2005. A divulgação ocorreu minutos antes de um formulário vazado com o mesmo conteúdo ser apresentado na rede de TV MSNBC. O documento foi apresentado na TV pelo jornalista David Cay Johnston, em entrevista ao programa “The Rachel Maddow Show”. O formulário mostra que, em 2005, Trump teve uma renda de US$ 150 milhões, e que teve que pagar US$ 38 milhões em impostos, 80% dos quais graças à Taxa Mínima Alternativa, lei criada para evitar deduções excessivas. Durante a campanha, Trump prometeu acabar com essa lei.

Trump foi o primeiro candidato em décadas a não apresentar suas declarações de imposto de renda, o que é explorado pela imprensa de forma a insinuar que o presidente seria corrupto. Pior do que corrupto, Trump é um grande capitalista. Mas não é por corrupção, muito menos por ser capitalista, que a imprensa burguesa dos EUA começa a esboçar uma campanha “contra a corrupção” para tingir Trump. Trata-se de mais uma frente da campanha para derrubar Trump, ou encurralá-lo até que ele adapte totalmente sua política.

Já há outros motivos levantados que poderiam levar a um impeachment, como uma suposta ligação de Trump com os russos e nepotismo, entre outras acusações feitas contra Trump. Enquanto estiver no governo, Trump continuará alimentando a crise do regime político do principal país imperialista do mundo, a mesma crise que possibilitou que ele se elegesse contra o aparato de seu próprio partido e contra o conjunto da imprensa burguesa.

Anúncios